Exercise Science

Vantagens e desvantagens de correr na passadeira

Raramente utilizo a passadeira nos meus treinos ou com os meus alunos/atletas, contudo e pontualmente em treinos mais curtos e proporcionalmente mais intensos, utilizo a mesma, pela facilidade de controlo da velocidade de execução e de pausa, distância, inclusive inclinação, para além de ser altamente funcional o comando de algumas variáveis de esforço (batimento cardíaco e percepção subjectiva de esfoço).

E uma das vantagens é precisamente o controlo das variáveis acima mencionadas, particularmente quando pretendo manter a velocidade contante o mais possível (km/h; min/km), a desvantagem é a falta de realidade ambiental e a perda de calor que eventualmente poderá estar comprometida, será por isso que a percepção de esforço é diferente do que correr ao ar livre?

Uma meta-análise publicada em março deste ano na revista Sports Medicine (https://link.springer.com/arti…/10.1007%2Fs40279-019-01087-9) analisou 34 estudos que comparam as diferenças fisiológicas, de perceção e de desempenho entre correr na passadeira e fora da mesma.

Os investigadores concentraram-se em três medidas principais de comparação: fisiológicas (como os corpos dos corredores se esforçavam para manter a intensidade de esforço, medidos pela frequência cardíaca, níveis de lactato no sangue e VO2 max), perceptivas (em termos de esforço como se sentiam) e desempenho (tempo no contra-relógio).

Em jeito de conclusão, os investigadores concluíram que, quando os corredores aumentam a velocidade de execução na passadeira, os mesmos apresentam valores mais altos na frequência cardíaca e relatam sentirem-se mais fatigados do que quando correm a mesma velocidade ao ar livre.

Para além disso, os corredores exibem melhores sindicadores de resistência quando correm fora da passadeira.

Curiosamente, os investigadores constaram que quando os corredores corriam mais rápido na passadeira (MAS NÃO TODOS), exibiam maiores frequências cardíacas e relatavam níveis mais altos de percepção de esforço (ou seja, a corrida era mais difícil) do que quando realizavam o mesmo exercício ao ar livre, embora tivessem menores níveis de lactato no sangue em comparação com o exterior. Mas perante menor intensidade esforço na passadeira, os batimentos cardíacos e os níveis percebidos de esforço eram menores do que quando corriam o mesmo esforço ao livre (VOLTO A ESCREVER, NÃO TODOS).

Bom treino
Mário Sá

Comentários ()